quinta-feira, 6 de março de 2014

Acorda Brasil!

Opinião
por Austri Junior
Atualizado em 06/03/2014
as 19:14hs

Acorda Brasil!
Há quem diga que o ano de 2014 começa realmente hoje... Isso, devido às férias e ao carnaval. Mas para os políticos, principalmente os que "trabalham" no Congresso Nacional, o ano só vai começar na segunda feira. "Esse é um pais que vai pra frente" era o slogan da ditadura militar. De lá para cá, o Brasil cresceu, mas na realidade nunca foi para frente e está muito longe de ir. Enquanto os países que usam o calendário gregoriano (e os que não usam também) já estão em pleno vapor desde o dia 02 de Janeiro, o Brasil está começando hoje. Como podemos ser um pais que vai para frente se a principal engrenagem dessa máquina chamada Brasil, que é o Congresso não funciona direito. E mais, estamos em tempo de eleições e sabemos que da quinta feira em diante, Brasilia para. Entenda-se por Brasília, o Congresso Nacional.

Mas será que Brasília para mesmo? E, será que o ano no Brasil começa hoje mesmo? Brasília não é apenas o Congresso. Brasília é o povo que acorda as quatro ou cinco da manhã, para trabalhar e sustentar políticos corruptos que passeiam de jatos da FAB, consumindo o suor do povo candango e brasileiro transformado em querosene. Brasília são os comerciantes e empresários honestos que pagam impostos que são transformados em caixa dois..., o famoso mensalão, cujo julgamento e sentenças estão se transformando em uma grande pizza.

O ano já começou para milhares de trabalhadores e trabalhadoras. Brasileiras e brasileiros, que madrugam nos pontos de ônibus, estações de trens e metrôs em todo o pais. Mães e pais de família, que esperam e enfrentam todos os dias o lotação. E é lotação mesmo, pois anda tão cheio, que se tirar o pé do lugar, terá que viajar pendurado, apoiado em uma perna só (tipo Saci Pererê). O ano já começou em todo o Brasil para as pessoas que perderam os seus entes queridos, vitimas dos inúmeros casos de violências, nas ruas, no trabalho, no trânsito, em assaltos... Quantas pessoas já perderam a vida nesses 66 dias de vida (ou morte), decorridos em 2014. Dias esses, esquecidos pelos legisladores que legislam em causa própria, e legislam para que os bandidos tenham mais liberdade para matar, roubar e destruir, brincando de "seguir o mestre". 

O ano já começou para quem paga impostos, prediais, impostos dos automóveis, taxas de iluminação, água e esgoto..., e recebem em troca serviços da pior qualidade. O ano já começou para os pais e  para as mães de famílias desempregados, cujas contas estão vencendo...
Nesse ano veremos na TV, e ouviremos no rádio: 
- "Vou reduzir a violência";
- "Vou construir mais escolas e aumentar as vagas";
- "Vou construir hospitais e aumentar os leitos..."
Ou:
-"No meu governo diminuímos a miséria, reduzimos a fome, aumentamos o número de leitos nos hospitais, implantamos o 'Programa mais Médicos' que foi um sucesso, aumentamos o número de escolas e vagas nas creches..., aumentamos o desempenho da balança comercial, ampliamos o mercado de exportação..." 
O resultado disso não se vê. Porque será?

Com certeza ouviremos que o Brasil promoveu a copa das copas e que teremos a maior das olimpíadas do mundo... Pergunto: Nós queremos olimpíadas e copa do mundo que constroem estádios de futebol de primeiro mundo, e vilas olímpicas que depois ficarão obsoletos, ou servindo de cracolândia, ou queremos escolas e hospitais padrão fifa? É claro que queremos saúde, educação e segurança de qualidade e não engôdos e números maquiados, porque precisamos melhorar a nossa qualidade e quantidade de vida. 

Queremos e precisamos de mobilidade urbana para irmos e virmos em segurança, sem acidentes e atropelamentos, sem engarrafamentos quilométricos onde os motoristas ficam indefesos dentro dos seus automóveis à mercê dos assaltantes, ladões e assassinos. Queremos escolas para que o nosso povo tenha educação e os professores tenham onde ganhar o pão. Queremos hospitais para cuidar dos nossos enfermos com dignidade, e não vê-los se contorcendo de dores nos corredores dos hospitais ou pelo chão das enfermarias...

No pais que segundo a presidente (diga-se de passagem) incompetente, fará a "copa das copas", temos crianças que não têm um tênis para calçar para ir à escola. Temos crianças que a única refeição que faz durante o dia é na hora do recreio escolar. Temos doentes agonizando e morrendo à espera de uma vaga para tratamento médico, cirurgia, e até mesmo uma simples consulta. Temos milhares de pessoas e jovens desempregados, temos famílias chorando a morte de um ente querido, assassinado por adolescentes bandidos que não vão para a cadeia. Então, matar tornou-se corriqueiro e banal. Como eles mesmo dizem em entrevista às emissoras de televisão: 
"- Não vai dar nada!" E riem debochadamente, fazem funk e escarnecem.

Mas está tudo bem! O povo está feliz; temos praia, sol o ano inteiro, carnaval, cerveja, cachaça, mulheres fáceis nas baladas, nas esquinas..., com os glúteos totalmente à amostra principalmente na TV. Vamos ter a copa, as olimpíadas..., temos as novelas, Malhação, Big Brother... Temos "Mais Médicos", "Mais educação", educação integral, bolsa família, auxilio maternidade, auxilio reclusão para presidiários (bandidos e vagabundos)... Temos o funk, o lepo lepo, o axé, o pagode, o samba..., e os glúteos de fora, dançando, remexendo, balançando, rebolando pra lá e pra cá enquanto a imaginação masculina fértil, se deleita com a "imagem maravilhosa da mulher brasileira" que já foi "cachorra", e hoje é "cavala". Muito bom para o crescimento do turismo nacional, muito bom para o turista estrangeiro... Muito bom para o turismo sexual.

Acorda Brasil! Ou eu deveria dizer: "A corda, Brasil!" Estamos sufocando... Estamos sendo enforcados, estrangulados na ponta de uma corda grossa todos os dias, e a maioria não está se dando conta disso. Se as coisas continuarem a caminhar nesse ritmo e nesse rumo, vamos acabar todos dependurados em uma árvore, de onde não conseguiremos mais sair. As mudanças estão em nossas mãos, ou melhor: A mudança está nas pontas dos nossos dedos. Outubro vem aí...

Um comentário:

Austri Junior disse...

Gostaria de fazer um esclarecimento:

Eu não sou jornalista, não estou a serviço de nenhuma empresa e de nenhum partido politico e de nenhum candidato.

Eu sou apenas um blogueiro politicamente incorreto que escreve o que pensa, ver e sente.

Sou um brasileiro indignado que escreve críticas apaixonadas, e não sou candidato à nenhum cargo político, nem sou candidato a presidente de nenhuma associação.

Não defendo nenhuma bandeira de nenhuma corrente filosófica, nem ideológica, seja ela política ou partidária.

Sou um brasileiro que luta como pode, através do blog contra a corrupção, contra a incompetência, e conta a inercia dos políticos brasileiros.

Sou um cidadão indignado com os desmandos políticos e com o sofrimento do povo, entre esse povo estou eu. Ando de transporte coletivo, pagos os meus impostos, uso o Sistema Único de Saúde, já fui assaltado...

Não aceito a falta de ética na política e em lugar algum, e muito menos a corrupção.

Não defendo a intervenção militar e muito menos a ditadura militar e nenhum outro tipo de ditadura. Sou a favor da democracia sem corrupção.

Sou brasileiro e amo o meu pais. Sou um cara apaixonado que as vezes não mede o que escreve e diz.