domingo, 23 de fevereiro de 2014

O sermão profético de Jesus Cristo

Teologia
Dr. Russel Shedd


"E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos" (Cf Mt. 24.12 - Bíblia Shedd, Revista e Atualizada no Brasil - 2ª Edição). 

Em Fevereiro de 2006, participei da Semana Teológica do IBADES -  Instituto Bíblico das Assembleias de Deus, aqui em Vitória, ES. Eu estava muito ansioso e empolgado pois na semana seguinte daria início à minha Faculdade de Teologia. O Palestrante principal era ninguém menos que o Dr. Russel Shedd, do qual sempre fui e sou um grande admirador, e o tema era "Escatologia". O texto proferido pelo Dr. Shedd foi justamente o capítulo 24 do Evangelho de Mateus (inteirinho), e foi até o capítulo 25.12. Lembro-me que foram sorteados alguns prêmios (bíblias e livros) entre o participantes, e eu não ganhei nada (como sempre). Além de ter trazido as bíblias e os livros para serem sorteados, o Dr. Shedd trouxe vários livros de sua autoria para vender e também a sua famosa e tão cobiçada (por mim principalmente) Bíblia Shedd. Lembro-me que eram dias muitos difíceis para mim, eu estava há muito tempo desempregado, pois estivera "servindo" (de escravo) em uma certa denominação que possui horário nobre na televisão, de segunda à sábado, por cujos serviços, nada recebia, e a imitação de pastor que dirigia a congregação, me enchia de promessas e me sugava até a alma e me oprimia dizendo que eu tinha que servir à Deus, que Deus cuidaria de mim e da minha família... Muito interessante, isso! Enquanto eu servia à Deus o dia inteiro na igreja, as minhas dividas aumentavam, e eu empobrecia, ao ponto de não ter nem um sapato para calçar. Mais interessante ainda, é que essa igreja prega a famigerada teoria da prosperidade (ou ideologia, como diz o meu querido Mestre Luiz Caetano Grecco Teixeira). 
A prosperidade é só para os predadores do Evangelho, que ali estão, sugando, explorando, enganado, matando..., o povo de Deus.

Em todo lugar que vou, com o objetivo de aprender, sempre me sento na primeira fila. No primeiro momento não entendi porque, mas o Doutor Shedd, assim que pousou sobre mim, os seus olhos, não me perdeu mais de vista, durante os dias em que estive ali, aprendendo sobre as coisa de Deus. Lembro-me que ao término da palestra, no primeiro dia, aproximei-me dele para cumprimentá-lo e perguntei os valores dos livros, e o valor da bíblia, ele me disse quais eram os valores, e quase caí de costas, pois estava muitíssimo descapitalizado, e os valores me pareceram exorbitantes. Após me dizer os preços, o Doutor Shedd me disse: 
- Escolhe: A bíblia ou o livro.
Ao que, lhe respondi: 
Mas eu não tenho dinheiro agora.
Ele então disse: 
- Eu não perguntei se você tem dinheiro. Dinheiro não é tudo! Eu disse para você escolher. Qual dos dois você vai querer? Escolhe um agora, e escreve aqui o seu endereço que eu vou lhe enviar em sua casa.
Meus olhos encheram-se de água, um nó apertou-me a garganta, o meu coração disparou e eu quase caí de joelhos. Naquele instante ele abraçou-me apertado, orou por mim (enquanto uma fila enorme esperava para falar com ele, pedir dedicatórias nos livros que compraram e pegar um autógrafo), e sorriu ternamente. Emocionado, agradei-o sem parar. 
Ele disse: 
- Não precisar agradecer para mim. Agradeça à Deus. Essas doações fazem parte do nosso compromisso com o Senhor.
Por "nosso", ele quis dizer, dele e da esposa, a Senhora Shedd. Escolhi a bíblia, e, vinte e um dias depois a Bíblia Shedd chegou em minha casa, e guardo-a com muito carinho até hoje. Tenho história para contar...

A Bíblia Shedd
Se os leitores observaram atentamente, perceberam que eu dei testemunho de dois momentos em minha vida: O primeiro, negativo, e o segundo extremamente positivo. O exemplo negativo foi grande e forte, e o exemplo positivo foi pequeno, entretanto, muito maior e muito mais forte que o primeiro. Cristianismo é isso: Atitude! As nossas atitudes é que farão a grande diferença e falarão mais alto em nós e  à cerca do Reino de Deus. Muitas vezes são as nossas atitudes não cristãs que jogam um balde de água gelada nas pessoas, ajudando a esfriar o amor de muitos.


Para ser sincero, a escatologia não é o meu assunto bíblico preferido. Mas há algo de interessante nesse texto: Essa passagem é a única vez na bíblia onde Jesus se aprofunda   nesse assunto, e o esmiúça com profundidade. Ele fala da destruição do templo, do princípio das dores, da grande tribulação, da parusia, da parábola da figueira, da parábola do bom servo e do servo mal, da parábola das dez virgens... O sermão profético continua.... Aproveitem para ler os capítulos 24 e 25 do Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, hoje.

Bem, muitos quando pregam essa passagem, aproveitam para aterrorizar o povo (eis aqui um dos motivos pelo qual não gosto desse assunto). Ouvir o Dr. Russel Shedd pregar sobre esse assunto por três horas, com uma voz mansa, e com o seu espírito cheio de amor, com a sua mente cheia de conhecimento, foi uma grande e maravilhosa experiência, e não cansou nenhum de nós, pelo contrário, queríamos mais. Muitos pregadores ao se referirem à esse texto, possuem uma visão muito limitada do assunto, e se referem à duas questões não muito condizentes com essa passagem. São elas: "As pessoas deixarão de amar à Deus e à Jesus e esfriarão, por isso virão as iniquidades e a famosa e perturbadora grande tribulação", e, as pessoas se esfriarão deixando de ir às igrejas, e, não frequentando mais as igrejas, consequentemente, o amor dessas pessoas pelo Evangelho de Cristo se esfriará." 

Mas uma boa hermenêutica pode nos mostrar muito mais coisas nesse texto. Mas para ser claro e objetivo, basta prestar um pouquinho de atenção no texto para descobrir  que o fim só chegará depois que todos em todo o mundo tiverem conhecido, a palavra de Deus e tiverem ouvido falar de Jesus. Isso vai demorar, por mais que "o fim esteja próximo", visto que há nações e tribos inteiras que nunca tiveram essa oportunidade ou experiência. Por isso Jesus enviou os seus discípulos, e continua  enviando até hoje: "Ide, portanto, fazei discípulos por todas as nações..." (Cf Mt. 28.19a - A Grande Comissão). Percebem como uma coisa está ligada à outra? Não se pode analisar um texto isoladamente. Entretanto uma coisa é unânime para todos: Os sinais estão aqui há muito tempo. Muito antes de Jesus nascer. São os rumores de guerras entre outros.


"E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos" (Mt 24.12).
O que é iniquidade? A iniquidade é o contrário de equidade. Vamos ver cada uma dessas palavras separadamente, segundo o Dicionário Escolar da Língua Portuguesa/Francisco Silveira Bueno, 11ª edição:
Equidade significa, igualdade, retidão
Portanto, segundo o mesmo dicionário, uma pessoa iníqua, é uma pessoa perversa, injusta, cruel, ruim, péssima... Muitos pregadores pregam essa passagem distorcendo totalmente o sentido da palavra, e dão um sentido totalmente contrário. Muitos até fazem entender que a iniquidade está ligada à prostituição. Outra palavra que por falta de educação acadêmica, conhecimento da língua e por preguiça de pesquisar é confundida com prostituição, é a palavra promiscuidade. Promiscuidade significa mistura desordenada, confusão. Porque estou citando essas palavras? Porque já cansei de ouvir pregadores usarem essas mesmas palavras quando pregam sobre esse tema e sobre o texto supra citado. Portanto por se multiplicar a iniquidade - perversidade, crueldade - e não a prostituição, é que o amor de quase todos se esfriará. Mas "o amor de quase todos" não se esfriará somente em relação à Deus, à Jesus Cristo, ao Evangelho, à igreja, mas, principalmente o amor de  uns pelos outros, bem como amor de toda a humanidade pela humanidade e pelas coisas corretas também se esfriará. Esse texto não está ligado somente à igreja ou ao Evangelho. Não se consegue uma hermenêutica no mínimo razoável, sem o conhecimento teológico e sem um bom dicionário, entre outras ferramentas. 

"O meu mandamento é este;  que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei" (Cf. Jo15.12), e também, conforme a Primeira Epístola do Apóstolo Paulo aos Corintios, no capítulo 13, versículo 13. Portanto, amadas e amados do Senhor, a economia da Salvação e expansão do Reino de Deus começa, passa e culmina no amor de uns pelos outros. Um certo pastorzinho, não me amou, mas o Dr. Shedd que nunca me vira, dedicou-me grande e profundo amor. Não deixe o seu amor pelas pessoas esfriar, e muito menos o seu amor pelas coisas de Deus.

O mundo está cruel, perverso, ruim..., iníquo. Cabe à nós, os cristãos tentar restaurar tudo isso e praticar profundamente o amor de Deus. É num simples, ato, gesto e atitude que isso se dará... Amar não machuca e não dói. Experimente!



Nenhum comentário: