sábado, 22 de junho de 2013

"Vem pra rua" precisa chegar às urnas...

 Política/Sociedade
Por Austri Junior

Nessas duas últimas semanas assistimos no Brasil grandes e lindos episódios políticos (cidadania). O povo se manifestando está fazendo política, mesmo que sem partido. Política e cidadania são a mesma coisa.


Vimos momentos vibrantes de manifestações populares que abalaram as estruturas da política partidária brasileira. As mobilizações que convidaram todo o povo brasileiro "vem pra rua", começaram nas redes sociais e revelou que o povo brasileiro - ao contrário do que se pensa e do que se diz - não é um povo alienado e despolitizado. Apesar do fato de não aceitarem bandeiras de partidos políticos e de sindicatos em seu protestos, não quer dizer que os manifestantes do movimento #vemprarua não se manifestaram politicamente.

Esses atos de cidadania (política) revelam as insatisfações que o povo brasileiro vem amargando a vida inteira, e especialmente nos últimos dez ou onze anos de governo petista - oito anos de governo Lula e dois anos e meio de governo Dilma - talvez eu devesse dizer: Desgoverno petista. Foram tantas corrupções e tolerância às corrupções e defesa dos corruptos, mentiras, enganações, tramoias, falcatruas... Dinheiro na cueca, dinheiro na meia, oração da propina, mensalão, tráfico de influência, maquiagem  no câmbio e na economia, "bolsas esmolas", apoio à Ahmadnejad e suas loucuras atômicas, apoio a Hugo Chaves e seus delírios ditatoriais, apoio aos irmãos Castro e às suas ditaduras em Cuba, perda do investimento bilionário da Petrobrás para o ditador Evo Morales que se apossou da nossa petroleira em seu país, acordo sombrio com o Vaticano a cerca do ensino religioso nas escolas públicas brasileiras atropelando a LDB, expulsão de jornalista americano por ter dito a verdade. Em fim, são tantas coisas que se for relatar a todas não darei conta...

O povo não aguenta mais tantos impostos e não quer a volta da inflação. O povo brasileiro quer o fim da corrupção, quer mais saúde e mais educação, mas ao invés disso, o que o povo recebeu? Recebeu tudo o que foi relacionado acima e muito mais - ou eu deveria dizer muito menos?  Recebemos uma copa do mundo com investimentos públicos da ordem de 28 bi aplicado em estádios luxuosos, enquanto  as escolas públicas padecem sem merenda, sem salas de aulas, sem material e ferramentas didáticas, sem o mínimo de estrutura para um ensino de qualidade e sem salários dignos para os professores. Enquanto os políticos ganham um absurdo e sempre têm aumento de salário, tem prefeito diminuindo o salário dos professores. Enquanto os médicos também enfrentam dificuldades nos hospitais, nas clínicas e nos postos de saúde a brava gente brasileira também sofre por conta dessa falta de estrutura, falta de leitos, falta de medicamentos, falta de vagas, falta de profissionais para trabalhar... Um cartaz segurado por um manifestante trazia a seguinte frase: "Quando o seu filho adoecer, leve-o à um estádio" -  Essa frase está circulando pela internet e reflete a verdade sobre as prioridades do governo brasileiro - "Pelo menos lá, os assentos são confortáveis", dizia um comentário que li em um post do Estadão.

Toda essa movimentação começou com a redução do preço do transporte público. O governo federal reduziu impostos, e os governantes estaduais e municipais ao invés de repassarem essa redução para a população, aumentaram as tarifas dos ônibus e dos metrôs. Resultado: O povo acordou! Ao despertarem começaram a despertar os que dormiam deitado(s) eternamente em berço esplêndido ao som do mar e à luz céu profundo. O movimento "vem pra rua" sacudiu o país dizendo: "Não é somente pelos R$ 0,20", aludindo ao fato de que não estavam nas ruas apenas por causa da redução de vinte centavos no preço das tarifas do transporte público, mas por todos esses problemas que relacionei acima e por muito mais. O povo brasileiro quer uma sociedade digna, justa, igualitária, sem violência, com saúde e educação e sem corrupção...

O Movimento Passe Livre - MPL, que começou tudo isso já se retirou das ruas alegando que já conseguiram alcançar o seu objetivo inicial, que era a redução do preço das passagens. Mas no fundo, sabemos que não foi somente isso, e sabemos que o MPL tem bandeira política, e os seus membros se irritaram com a intolerância dos pacifistas que se irritaram com a presença dos partidos políticos e dos sindicatos nas manifestações, e "saíram da linha" atacando os membros desses partidos, rasgando as suas bandeiras e queimando-as, bem como  expulsando os manifestantes partidários da manifestação apartidária. O MPL alegou que os partidos políticos que foram rejeitados na manifestação vêm apoiando o movimento que quer a redução das tarifas dos transportes públicos e o passe livre para os estudantes de todo o Brasil desde o inicio, e que que não foi justo o que os manifestantes apartidários fizeram com eles. O próximo passo do MPL, seria fazer uma avaliação das manifestações e voltar às ruas futuramente, se manifestado pela conquista do passe livre para todos os estudantes brasileiros. A presidente Dilma Roussef  (politicamente esperta se adiantou e) fez ontem, em rede nacional, um pronunciamento, prometendo as mudanças que foram reivindicadas  nas manifestações, com o objetivo nítido de esvaziar as ruas do Brasil e inibir novas manifestações. Apesar de esperta, ela está certa e está em seu papel de dirigente da nação, aliás, ela demorou muito em tomar uma atitude, assim como o prefeito de São Paulo, Fernando Hadad e o governador Geraldo Alkimin. Os políticos  brasileiro têm o péssimo hábito de subestimar o povo brasileiro e o poder de comunicação das redes sociais, e sempre acham que "isso não vai dar em nada", e com certeza, pensaram que o movimento se esvaziaria. Ledo engano! Agora eles aprenderam, e é melhor ficarem com a "pulga atrás da orelha" e colocarem a "barba de molho" (sorte do Lula que não usa mais a barba).

Penso que agora é hora de o manifestantes pacifistas deixarem as ruas também, pois os bandidos, os traficantes, os ladrões, e os vândalos se misturaram às manifestações pacíficas e legítimas para assaltar, destruir, roubar, saquear, colocar fogo... É preciso que esses sejam enfrentados pela polícia com o rigor da lei, e contra esses bandidos penso que a polícia deve sim atirar bombas de efeito moral, spray de pimenta, balas de borracha e "descer o cassetete" nesses indivíduos. Para os bandidos, a prisão! "Polícia para quem precisa! Polícia para quem precisa de polícia..." Não há como esses eventos sociais escapar ao meu Olhar Teológico (sempre digo isso aqui), e por isso quero registrar que toda vez que via os bandidos infiltrados às manifestações - Pacíficas e legitimas - lembrava-me de que o "inimigo vem para roubar, matar e destruir". Precisamos ficar alertas com a presença desse Joio se misturando ao trigo. Esses bandidos, estudantes ou traficantes são perigosos, e são inimigos da paz, da ordem, da democracia. O objetivo dessa ralé que destrói e depreda é gerar o caos, a insegurança, a depredação, a morte e a destruição. Eles não estão interessados em uma sociedade melhor, não importa o seu nível de educação escolar: Favelados sem estudo e classe média universitários se uniram em atos de vandalismo total, porque são iguais. Eles não possuem educação social e não são cidadãos politizados, são a escória. A escória precisa ser extirpada desses movimentos, pois só trazem a desordem, o caos, o prejuízo material, político e social. Vândalos, favelados ou da classe média, se igualaram entre si e se igualaram aos ladrões, aos bandido e aos traficantes que se infiltraram nas manifestações também. Penetras sempre estragam a festa!

Hoje tem a "Marcha das Vadias" - penso que essa marcha é desnecessária e evitarei comentários sobre as mulheres vadias para não escrever coisas que serão mal interpretadas - talvez as vadias tragam em suas marchas algumas reivindicações sociais de relevância, afinal, vadias também pensam e os comportamentos, sejam eles sociais ou sexuais não nos reduzem a capacidade do pensamento e não nos reduzem a  capacidade de interpretar os fatos. Por esse motivo, as vadias, os homossexuais, os trabalhadores, os estudantes..., todos têm o direito de protestar desde que hajam ordem, decência e respeito.

Esperemos para a próxima quarta feira dia 26 de Junho uma grande "Paralisação Nacional" com grande passeata que envolverá a toda a nação e os trabalhadores em geral: A educação, os rodoviários, a saúde... Os sindicatos, os partidos políticos... Todas as classes sociais. Manifestações pacíficas e ordeiras são legítimas, são sadias e necessárias, mas precisam chegar às urnas em 2014.

Austri Junior - Editor  

Nenhum comentário: