terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Redes Sociais

As redes sociais são ferramentas fortes e poderosas, e são muito importantates nos dias atuais. As redes sociais também são grandes aliadas das quetões sociais, na divulgação do trabalho e da capacidade profissional das pessoas, mas infelizmente, de uma forma geral, são muito mal usadas, e revelam o vazio cultural e intelectual das pessoas. Também revelam o caráter dos seus usuários, é só ficar atento e fazer as leituras certas, que perceberemos como cada um é na íntegra. As pessoas refletem nas redes o que elas são em suas vidas pessoais: Cultas, ignorantes, intelectuais, preguiçosas, comprometidas, desinteressadas, religiosas, atéias, educadas, "grossas", finas, gentis, abusadas, mal humoradas, bem humoradas... O que as pessoas são em suas vidas, isso se reflete na internet (já falamos sobre isso aqui no Portal do Professor Austri Junior, no post "Relações nas Redes Sociais - Fechando o Assunto" (acabei de perceber que esse assunto não pode ser "fechado"). 

Tenho criticado duramente o mal uso da internet e o mal uso das redes sociais. Tenho alertado o quanto as pessoas são fúteis e vazias, inúteis e ignorantes, quanto ao poder e utilidade tanto do facebook, quanto do twiter. Os usuários de blogues também não ficam atrás. Quando se trata de blogues que tratam de assuntos fúteis, o número de seguidores é de cair o queixo, assim como as páginas (de "abobrinhas") no face e os twiters dos "famosos". Quando postamos porcarias (no face, por exemplo), o número de comentários é absurdamente enorme. Quando postamos algo útil e maduro, raramenete conseguimos algum comentário. Será que isso só acontece comigo, ou acontece contigo também? Se isso não acontece com a maioria das pessoas que estiverem lendo esse post, eu vou crer que estou cercado de pessoas ignorantes e vazias no facebook (com algumas excessões, é claro). Para ser sincero, não tenho muito desse  problema no twiter e nem no gloogle +, apenas no facebook (que diga-se de passagem está totalmente "orkutzado").

Uma aluna do 5º ano (antiga 4ª serie), que era minha amiga no meu antigo pefil no facebook denominado "AUSTRI JUNIOR - CULTURA E SOCIEDADE", comentou com os coleguinhas da classe dela: "O perfil do 'tio' Austri só tem lixo". É claro que é compreensível, que para uma menina de dez anos, postagens sobre política, cinema, teatro, artes, cultura, teologia, filosofia, educação Beto Guedes, Chico Buarque, Caetano Velozo, John, Paul, George, Ringo... Só pode ser "lixo" mesmo. Aliás, não somente para ela, mas para mais de 90% dos adultos que conheço. Como eu não tenho atualizações de ninguém (eu recebo apenas as atualizaçoes das páginas que sigo, com o objetivo de alimentar os meus perfis e as minhas páginas), fui até o perfil da aluna em questão para ver o que continha. Caí na rizada e dei muitas gargalhadas quando vi as (para mim) asneiras que ela postava: Carrossel, Cirilo, Maria Joaquina, coisas sobre unhas postiças, maquiagens, bonecas, correntes do tipo: se você gosta compartilhe, se não gosta só olhe, e por aí  a fora... É claro (apesar de ter gargalhado) que as postagens dela estavam de acordo com a idade dela, e de acordo com a sua feminilidade. Eu  consegui compreender isso. O pior de tudo, é quando vejo as mesmas coisas nos perfis de pessoas adultas, e o pior ainda, é quando essas pessoas são "educadoras". As redes sociais e a internet precisam ser melhor utilizadas, pelo menos pelos adultos. Muitos adultos têm em seus perfis, coisas mais infantis do que as coisas que essa menina posta no perfil dela

Tenho como objetivo o uso das redes socias com respoNsabilidade. Porém, acredito que isso só ocorre nas redes sociais do tipo LinkedIn, onde as pessoas só constroem perfis profissionais (e mesmo assim, mentem em seus currículos), com o objetivo de divulgar as suas empresas, os seus trabalhos, as suas capacidades profissionais e os seus currículos, pois as redes sociais profissionais servem para que as pessoas se vendam e vendam os seus trabalhos para os interesados em bom profissionais, e para que os bons profissionais consigam bons empregos.  

Nas redes sociais comuns, muitas pessoas além de "detonar" com a lingua portuguesa assinam todos os dias atestados de burrice, de incompetência, de incapacidade intelectiva, e um grande vazio mental.  

Quando escrevo as minhas críticas ao comportamento negativo e vazio das pessoas nas redes sociais, há pessoas que (errôneamente) interpretam as minhas críticas como ressentimentos, e não são. Estou apenas descrevendo claramente as minhas idéias, pensamentos e visão a cerca do assunto (muitos estão tão envolvidos nessa situação negativa das redes sociais que não conseguem enxergar o que poucos enxergam). O que estou fazendo aqui e em outras oportunidades, são duras críticas sociais e educacionais aos comportamentos vazios, não estou  descrevendo sentimentos pessoais. Talvez o meu erro esteja em citar as minhas experiências pessoais para exemplificar os fatos. Isso deve estar confundindo as pessoas, o que as fazem se confundirem em suas hermenêuticas a cerca das críticas que faço. Há quem diga que faço críticas duras demais. Bem, talvez eu esteja sendo muito duro mesmo, mas não vou amenizar essas críticas, como também não deixarei de fazê-las. Também não vou me desculpar por isso. Tenho como objetivo, fazer com que as pessoas reflitam sobre o assunto.

Por Austri Junior - Editor 

Leia abaixo alguns exemplos concretos do mau 

(ou mal) uso das (e nas) redes sociais:

   

"Geito", "Ispírito" e "fulga": veja as gafes dos famosos nas redes sociais

Luciana Gimenez escreveu a palavra “jeito” com a letra “G” e não gostou de ser criticada sobre o deslize.


Luciana Gimenez perdeu o sono na noite dessa quinta-feira (17). A apresentadora, que está de férias nos Estados Unidos desde o fim do ano passado, se irritou ao ser corrigida por um seguidor após escrever errado no Twitter.

“Magra e feliz! Cada um e de um geito não gosto ae dobras” (sic), escreveu Luciana não sendo muito clara no que quis dizer. Após ser corrigida por escrever “jeito” com “G”, a apresentadora perdeu a linha. “Jeito e com G se eu quiser no Twitter que e MEU. Quem quiser vai seguir outras pessoas do jeito que gostarem” (sic), desabafou a apresentadora.
Após ser apoiada por alguns seguidores, Luciana resolveu escrever as publicações seguintes todas erradas, de propósito. “Estou de firias”; “RealmInte os braZileiros Sao obSSEcados com o portugueZ...”; “Sera que Encomoda tanto quanto a criminalidade os aSsaltos os tiros a falta de vergonha na cara # enquete ou alguns erros de portugueZ?”, ironizou.
Luciana não foi a primeira a cometer algum deslize de português no Twitter e se irritar com os seguidores.

iG Gente |
Fonte: IG http://gente.ig.com.br/2013-01-18/geito-ispirito-e-fulga-veja-as-gafes-dos-famosos-nas-redes-sociais.html

A Luciana Gimenez não é a primeira e não será a última a cometer erros ortográficos (eu mesmo cometo muitos, todos os dias). Ela também não é a primeira que trata com "grossura" e deboche, as pessoas que se arriscam em corrigir os erros de outrem. E é isso que está errado. (Austri Junior)

 ***

Celebridades brasileiras ainda engatinham no Twitter

Poderosa ferramenta de marketing, a rede social tem ganhado cada vez mais espaço em Hollywood. No Brasil, porém, o uso ainda é pouco explorado 

Carol Nogueira

As redes sociais se transformaram em ferramenta obrigatória na carreira das celebridades. Se em seu início Twitter e Facebook, por exemplo, eram vistos com alguma reserva - em função do alto potencial de exposição da vida privada -, hoje esses dois recursos ocupam papel de destaque nas estratégias de divulgação da carreira e também dos trabalhos em que estão envolvidos os famosos. Rick Sorkin, vice-presidente do WhoSay, mídia social que oferece um serviço exclusivo nos Estados Unidos para espalhar conteúdo de celebridades e pessoas influentes em geral, afirmou em dezembro à revista americana Entertainment Weekly que, por lá, já são comuns os contratos com cláusulas que obrigam artistas a publicar um número específico de tuítes e fotos no Instagram sobre o projeto para o qual estão sendo contratados. Tudo em nome da divulgação "espontânea" que pode agregar alguns milhares de dólares a mais aos lucros do filme ou do disco que está sendo preparado. 
No Brasil, ainda que em menor escala, emissoras de televisão e gravadoras começam a seguir os passos do show bizz americano. Na Rede Globo, o código de conduta da empresa em mídias sociais não permite que os atores publiquem fotos de gravações de novelas para evitar o vazamento de “spoilers”. Eles são encorajados, no entanto, a falar sobre os trabalhos que estão fazendo para aumentar a divulgação. O mesmo ocorre no ramo da musica. Em gravadoras grandes como a Universal Music, por exemplo, segundo a assessoria da empresa, os músicos também são encorajados a usar as redes sociais para fortalecer seu trabalho.
Ainda falta muito, no entanto, para as celebridades brasileiras aprenderem a explorar todo o potencial do Twitter na conquista de mais fãs, de audiência e de lucros maiores. Com contas em geral mal administradas, a maioria delas se limita a retuitar elogios de fãs que não interessam a ninguém e são sovinas em comentários exclusivos. É o que acontece, por exemplo, com o perfil da apresentadora Angélica. Apesar dos 2,1 milhões de seguidores, a página ainda engatinha se comparada à de seu marido, o também apresentador Luciano Huck. Para manter o interesse de seus 6,2 milhões de fãs, ele faz atualizações pessoalmente e usa fotos exclusivas de gravações e de bastidores de seu programa na Globo, o Caldeirão do Huck. O perfil de Huck é o segundo mais popular entre os famosos brasileiros. Perde apenas para o de Ivete Sangalo, outra exceção entre seus pares na rede. Celebridade (do entretenimento) mais seguida do Twitter, com 7,4 milhões de fãs, a cantora baiana dá um show de bom uso da ferramenta: seus posts são divertidos e revelam detalhes de sua vida pessoal e carreira, com muito bom humor  e bom senso.

Fonte: Veja
http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/celebridades-brasileiras-ainda-engatinham-no-twitter

Nenhum comentário: