quarta-feira, 10 de outubro de 2012

O Dia das Crianças



O que é mesmo o dia das crianças, se não, um dia para presentear as nossas crianças, e engordar as contas bancárias dos fabricantes e dos comerciantes de brinquedos e de eletrônicos? Quem sabe, poderíamos aproveitar o Dia das Crianças para ensiná-las que outras crianças estão "jogadas" e perdidas no mundo, passando fome, sem paz, sem amor, sem binquedos, sem os pais, sem comida, sem teto, sem dinheiro, sem perspectiva, sem expectativa, sem vida...

Talvez  alguém possa dizer; "Eis aqui um texto fanático, lunático, terrorista, comunista, extremista... Para que aterrorizar e assustar as pobres e inocentes crianças, com idéias tão horríveis, para que quebrar a inocência de uma criança feliz, mostrando-lhes coisas tão tristes? Melhor é deixá-las crescerem primeiro, pois terão um mundo horrível pela frente, e terão muito com o que se preocupar, à começar pelos seus próprios problemas."

Bem, talvez você tenha razão em  pensar assim, ao invés de mostrar a realidade para o seu filho, ou para os seus alunos, e não ensinar-lhes a partilhar, amar, interceder... A verdade, é que se tivermos a coragem de ensinar às crianças a comprarem presentes para outras crianças, pobres e miseráveis, e não somente a comprarem presentes, mas ensiná-las também a compartilharem as suas vidas e aquilo que têm com as crianças pobres, negras, famintas... com certeza elas se sentirão muito felizes, e então, teremos muito mais o que comemorar.

A criança que aprende a partilhar, compartilha a vida, e semeia generosidade. No futuro, essa criança será um adulto que lutará pela justiça social, e não um adulto egoísta e virtual que só sabe "curtir" e "compartilhar" abobrinhas e besteirol. A criança que aprender que existem "pessoinhas" iguais a elas vivendo uma vida caótica, será aquele, ou aquela, que irá criar, desenvolver e executar projetos, e programas, sociais, e implementarão ações políticas, públicas e ou privadas, que ajudarão a melhorar as vidas das pessoas menos favorecidas, e não falo de paternalismo, mas de justiça e inclusão social. Embora o mundo, a vida e as pessoas sejam desiguais, ajudar o outro a construir a sua estrada sempre trará lucros para a sociedade e para toda a humanidade. O contrário disso, só trará prejuízos, que sempre irão se voltar contra todos, omissos ou não...

Quanto mais gente trabalhando e somando para a construção de um mundo melhor, tanto mais, teremos para comemorar. Hoje, não temos muito, talvez,  quase nada...   

2 comentários:

Antonio Batalha disse...

Estou a visitar alguns blogs, e tive o privilégio de encontrar o seu, vi na pagina inicial o que escreveu, e como gostei folheei mais algumas páginas e fiquei maravilhado pelo que vi e li.
Dou-lhe os parabéns, mas queria deixar um apelo continue assim dando sempre o melhor, boas mensagens, bons temas. Gosto de escrever, mas também gosto de ler bons temas, por isso é que parei aqui.
Meu nome é: António Batalha.
Sou um servo de Deus,e deixo aqui a minha bênção,que haja paz,amor na sua vida, muita saúde e felicidade.
PS. Se desejar seguir o meu humilde blog, Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir, se encontrar seu blog.

Austri Junior disse...

Boa noite, Antonio!
Muito obrigado pela sua visita, e muito mais obrigado pelas suas generosasa palavras. Recebo as Bênçãos sobre a mimha vida derramadas e as retribuo em o Nome do Senhor Jesus.

Será um grande privilégio seguir o seu blog, e um privilégio maior ainda, ter você aqui em meu também, humilde portal.

Toda a Graça, toda a Paz, e todo o Bem, sejam sobre tu e a sobre todos os que amas.

Austri Junior