domingo, 10 de março de 2013

O mundo é um verdadeiro barril de pólvora

Sociedade
Por Austri Junior

Introdução

O ano de 2013 mal começou e já estamos envoltos em meio à tantas e importantes façanhas. Seja em nossa vida pessoal, seja em nossa vida em sociedade. Essas façanhas são realmente relevantes na sociedade e no mundo, e na vida das cidadãs e dos cidadãos, e que muitos de nós sequer o percebemos na sua totalidade. Dentre essas façanhas, gostaria de conversar rápidamente com vocês sobre algumas questões que estão acontecendo aqui (no Brasil) e no mundo, e como de costume, sempre que faço alguma análise, faço-a a partir de um prisma social, lançando sobre a mesma um "Olhar Teológico", e não abro mão disso, pois a teologia, ao contrário de que muitos pensam ou consigam perceber, está presente em tudo... Seja nos acontecimentos sociais ou seja na política, e até mesmo na educação, na arte e na cultura... Por isso essa "Lente Teológica" em minhas escritas. E, somente para esclarecer aos que estão chegando aqui pela primeira vez, digo: "Teologia não é religião. Teologia é Ciência Social." Poucos sabem disso, e muitos não querem saber, mas sempre faço questão de tocar nessa tecla.

Bento XVI

Dentre os fatos que mencionarei, quero começar pelo que na minha opinião, considero ser o mais importantante dentre todos: A renúncia de Bento XVI. Porque que a renúncia de Bento XVI é tão importante para o mundo ou para a minha vida? Alguém pode estar se perguntando nesse momento. Ou, que importância tem isso para um protestante, para um "evangélico", para um mulçumano ou mesmo para um ateu? Bem, isso vai depender da sensibilidade e do nível intelectual de cada um... Quanto mais sábio o homem, maior a sua capacidade de interpretação e maior ainda a sua sensibilidade para compreender o mundo e as coisas à sua volta.



A igreja (instituição), seja ela qual for, ela é política e social, mesmo que viva chafurdada no êxtase do "glória a Deus e aleluia". A igreja católica romana talvez seja a mais política e social de todas as igrejas. Para início de conversa, sabemos que o Vaticano, sede mundial do catolicismo é um país. E é um país com cidadãos espalhados pelo mundo inteiro. Um pais que possui banco, influência e poder politico. A mais recente prova disso foi o esforço político que Joseph Ratzinger fez e com grande êxito para aproximar o ocidente do oriente médio que estão separados há séculos por questões religiosas e políticas. É no campo político que as negociações de paz e convivência são consolidadas, pois a religião divide e separa mais do que re-liga. A iniciativa de Bento XVI de pedir perdão ao povo mulçumano pelos erros do ocidente e pelos erros dos cristãos abriu uma nova fronteira de entendimento entre os dois povos. Então, qual é a relevância desse assunto, ou da igreja católica ou da figura de um papa sábio para a humanidade? Preciso responder? Claro que não, você já tem a resposta.

No início do pontificado de Bento XVI eu fui um grande opositor e crítico ferrenho da figura dele, e escrevi alguns textos contra esse pontífice aqui no blog. Agora, sobre a sua renúncia ao papado, e não importa para mim o motivo da mesma, quero dizer-vos que o admirei profundamente. Sei que a igreja católica tem todos os defeitos de uma igreja (assim como todas as igrejas), e sendo a igreja enorme que ela é, defeitos ainda mais terá: Escândalos sexuais, fraudes financeiras... Bem, sempre costumo dizer: "Entre Deus e o Ministério está o homem. E onde está o homem, aí estão todos os problemas." Imagine uma sociedade (país) onde cada um faz o que bem quer e o que bem entede da sua vida, sem respeitar as leis e a constituição. Assim é o país chamado Vaticano. Os seus cidadãos são como cidadãos de qualquer outra nação: Falhos, corruptos, inconsequentes... Tanto os que estão dentro, quanto os que estão fora do país (quero ressalvar os homens e as mulheres de bem, honestos e éticos). É claro que toda igreja, seja ela um "país" ou não, deve  ter transparência e ética. Deve reconhecer as suas falhas e enfrentar os seus problemas sem maquiagem.


Para fechar o assunto sobre a renúncia de Joseph Ratzinger, penso que ele agiu sabiamente. Um homem com mais de oitenta anos, precisa de paz e sossego. A ICAR tem muitos desafios e problemas pela frente, inclusive a revisão do "Dogma da Infalibilidade Papal". Não é porque João Paulo Segundo ficou na cátedra até a morte que ele tem que ficar também. Quem sabe a função de "cargo vitalício" dos futuros papas não seja revista, e os próximos papas fiquem apenas dez anos no comando da igreja, e quem sabe, os cardeais repensem a nessecidade de eleger um papa mais novo na próxima terça feira? O Vatiticano é o menor país do mundo, mas que possui uma população (de católicos) entre as maiores nações do mundo, esperando pelo anúncio do cardeal protodiácono e decano: "Habemus Papam."

A Venezuela de Hugo Chaves

Hugo Chaves, um oficial militar que tentou tomar o poder à força na Venezuela em 1992, foi eleito presidente daquele país em 1998, está sendo velado, venerado e adorado pelo povo de sua nação, por aproximadamente dez dias.

Em minha opinião o Chaves foi um louco perigoso que se aproveitou de um momento de fragilidade do país e do povo, e tal qual o lider nazista Hitler, ele chegou ao poder com ideias perigosas e manipuladoras. É realmente impressionante como um lider carismático pode conduzir quase uma nação inteira ao fanatismo e à cegueira. Chaves "declarou guerra" aos EUA, chegando ao ponto insano de dizer que os líderes latinos americanos, inclusive ele, estavam sendo "infectados" com algum tipo de vírus cancerígeno pelos Estados Unidos, e há quem acredita nisso. Há pouco comentei na nossa Fan Page Educação Cultura e Sociedade que Goebels, ministro da propaganda nazista tinha orgulho em dizer que "uma mentira repetida várias vezes se trorna verdade." Nesse mesmo texto também comentei que "Para os perversos, exterminar alguém é muito fácil, tudo o que eles precisam é de pessoas com fé para creditar no que dizem."

Como um perverso como o Chaves  que se diz o "paladino do povo" extermina esse mesmo povo? É simples: Iludindo-os, alienando-os, destruindo neles a capacidade de pensar por sí só, destruindo  a capacidade de questionamento e de interpretação, gerando fanatismo e adoração, tornado-os alienados políticos e sociais... Fanatismo cego, irracional que faz o povo sair de longe e acampar diante de um corpo falecido, por longas horas e até dias, sem água, sem comida, desmaiando de calor, fome e mal estar. Agora, esse mesmo corpo será embalçamado e ficará exposto para ser venerado e adorado, assim como foi em vida. Tudo isso tem um motivo e uma razão: A manipulação política e eleitoreira de Nicolás Maduro, que é um sujeito "verde" para governar um país cheio de problemas econômicos e sociais, como é a Venezuela. Maduro é uma "cópia verde", mal  feita, mal acabada e borrada do Chaves.

O Chaves com suas ideias perigosas era carismatico, coisa que o Nicolás Maduro não é. Ele vai tentar proseguir com o "chavismo" e com o "bolivarismo", que o próprio povo já está chamando de "doutrina bolivarista", porque na verdade é mesmo uma doutrina. Doutrina que não aceita e não permite oposição nem ideias contrárias, que castra a liberdade de expressão, assim como é em Cuba. Essa doutrina é uma doutrina perversa capaz de dividir uma nação inteira, e de jogar irmão contra irmão... Por conta dessa doutrina, uma jornalista foi espancada em frente ao hospital onde o Chaves estava. Doutrina é sempre algo perigoso e geralmente dá origem às piores guerras. Doutrinas cegam as pessoas e se transformam em religiões perversas, que repito: "a religião divide e separa mais do que re-liga." Por isso não gosto de doutrinas.

Inocentes foram os que pensaram que com a morte de Hugo Chaves a Venezuela estaria livre. O país está mais acorrentado e enclausurado que nunca, e para não perder o foco teológico, eu diria que só um milagre poderá salvar o povo do chavismo e do bolivarismo nesse momento. A constituição naquele país foi rasgada, o golpe de estado foi estabelecido, e o povo apoia essa sandice. A maioria não quer ser "salva". O que muito eu estranho é que a comunidade internacional não se manifestou contra essa sórdida e oportunista atitude dos chavistas.

Para fechar esse assunto eu quero dizer para a Dona Dilma "presidenta" do Brasil que o Chaves pode ser amigo dela, do Lula e do Zé Dirceu, mas não é meu amigo, e nem eu sou amigo dele. Eu sou parte do povo brasileiro  e nunca vi o Chaves fazer nada pelo povo brasileiro. Ele não fez nem pelo povo dele... Ir à televisão com um discurso mequetrefe e dizer que "o presidente Chaves é amigo do povo brasileiro" é uma mentira muito feia e deslavada.

O Brasil da Dilma

O Brasil de Dilma Roussef caminha chafurdado na violência, cheio de problemas de in-segurança pública, falhas gravíssimas na educação, na saúde e na economia. Para maquiar tudo isso e mais um pouco a "presidenta" anuncia a queda no preço da energia  e logo em seguida percebemos que quem caiu mesmo fomos nós... A inflação está cada vez mais alta e as donas de casa sabem disso melhor que ninguém.




No Dia Internacional da Mulher a "presidenta" veio a plúblico em rede nacional de televisão anunciar a retirada dos impostos de alguns produtos da cesta básica. No entanto, está sendo duramente criticada por ter vetado essa proposta que partiu da bancada do PSDB, e que agora está "posando de boazinha" para o povo brasileiro, em especial para as donas de casa e para as mulheres em geral, com um discurso cheio de "emoção" para conquistar o coração emotivo da mulher (sem discernimento) brasileira. Ora, roubando ou não, a ideia do PSDB (e que diga-se de passagem é uma ideia muito boa), a Dilma está dando visivelmente um golpe eleitoreiro de olho na eleição de 2014.

O que toda mulher (e homens) do Brasil gostaria de ouvir da "presidenta", principalmente as famílias vítimas da violência, é que o Brasil baixou o limite da maior idade, e que os criminosos com 12 anos para cima vão para a cadeia, e serão julgados e condenados por seus atos hediondos. O que todos nós, homens e mulheres do Brasil queremos ouvir, ver e saber é que bandidos que praticam violências contras as mulheres, contra os mendigos e contra toda a sociedade vão responder pelos seus crimes, e que todos os criminosos hediondos, sem excessão alguma, serão condenados com no mínimo trinta anos de cadeia, e não vão sair de lá sem cumprir pelo menos noventa por cento do tempo de prisão determinado para eles...

Queremos ver e saber que os mensaleiros, sejam eles do PT ou do PSDB ou de qualquer outro PODER, serão presos e terão que devolver cada centavo que roubaram, com juros e correção monetária. Queremos ver, saber, ter e usufruir de uma saúde pública de qualidade a altura dos impostos que pagamos. Não queremos ficar jogados no corredor de um hospital sujo, empoeirado e calorento, abandonados e ignorados, cheios de dores como eu já fiquei. Queremos escolas equipadas, educação de qualidade, professores preparados e bem remunerados... Queremos todos os profissionais desse país ganhando dignamente, não somente os políticos e os magistrados que estão lá para legislar e fazer cumprir a lei, mas que não o fazem por que sabem que essas leis poderão ser carrascas deles mesmos ou de alguns dos seu descendentes. Leis severas no Brasil são perigosas para a maioria dos políticos, homens (e mulheres) públicos, visto que essas mesmas leis podem aprisioná-los, tendo em vista que a corrupção e a criminalidade são as marcas de muitos deles. Quero ressalvar aqui também, as mulheres e os homens  públicos de bem, justos, dígnos, éticos e honestos.

Então, sou a favor de que se retire os impostos da cesta básica sim, mas quero também a reforma tributária no país, a reforma política, a revisão do código penal brasileiro, a desobrigatoriedade do voto... Democracia plena se faz com liberdade de expressão, com voto facultativo, com justiça social, entre muitas outras coisas. Quero um pais dígno para mim, para e para todos brasileiros. Não quero ser amigo de ditadores e lunáticos como o Hugo Chaves.

O mundo

Enquanto muitas coisas acontecem no Vaticano, na Venezuela e no Brasil, muitas coisas acontecem também no mundo. Entre essas coisas, estamos vendo a luta do presidente Barack Obama tentando desarmar a nação americana, o Egito em conflitos constantes, a Coreia do Norte desafiando os Estados Unidos com seus mísseis, e isso pode ser preocupante, pois nunca sabemos o tamanho e as proporções que um conflito desses pode chegar, e tudo o que o mundo não precisa, nem agora e nem nunca mais, é de uma guerra mundial. Bastam as guerras locais!


O Irã por sua vez tem também um louco no poder, que atende pelo nome Ahmadinejad, que foi aplaudidíssimo no velório do Hugo Chaves. O Ahmadinejad também é amigo do Lula. Me parece que o Lula não sabe muito bem escolher os seus amigos políticos: Fidel e Raul Castro, Hugo Chaves, Mahmud Ahmadinejad, Evo Morales, as "figurinhas do Mensalão"... Uma parte é constituida de ladrões, outra parte são lunáticos em busca de guerra e de oprimir o povo. É claro que deve ter gente boa nesse meio, e faço questão de ressalvá-los também. Se o Lula estivesse no poder ainda, talvez ele faria aliança com a Coreia do Norte, e se o Hitler e o Napoleão Bonaparte fossem vivos, com certeza eles seriam amigos do Lula também. Estamos sentados sobre um barril de pólvora pronto para explodir.

Austri Junior
Editor do Blog

Nenhum comentário: