segunda-feira, 15 de julho de 2013

A Raça Brasileira!!!

Sociedade
por Austri Junior



O Brasil ultimamente tem se apresentado dentro de casa e também à comunidade internacional como um caldeirão fervilhante. Um caldeirão onde podemos dizer, está sendo preparada uma grande sopa com todo o tipo de ingrediente a que se tem direito. Os ingredientes desse prato vão da melhoria e crescimento à corrupção e impunidade. Parece um paradoxo (e é mesmo)! Também, não é de se esperar menos que isso, pois o Brasil é um país imenso com uma pluralidade e diversidade enorme. Temos vários povos em um só povo. Por aqui chegaram os portugueses, os portugueses trouxeram os africanos que se juntaram aos nativos que aqui já se encontravam, e deram origem à Raça Brasileira que é parte da raça humana (como alguns preferem dizer). Além dos  portugueses e dos africanos, também aportaram por aqui os holandeses, os italianos, os alemães, os japoneses... Tudo isso junto, gerou essa diversidade que vai do sotaque à culinária. É claro que essa pluralidade engloba também a religião e a cultura, entre tantas e outras coisas... A miscigenação dessas raças gerou uma nova Raça. Essa nova raça é a Raça Brasileira.

Nessa sopa temos a Copa das Confederações (que acabou de acontecer no mês de junho) e teremos a Copa do Mundo que acontecerá em junho de 2014, depois da Copa do Mundo teremos as Olimpíadas. Quem não conhece o país pode pensar que somos um país com grande tradição e sucesso esportivo. Bem, se formos considerar somente o futebol como atividade esportiva, então podemos dizer que somos sim, um país com tradição esportiva. Alguém pode está se perguntando nesse momento: "Ainda existem países que não conhecem o Brasil?" A resposta é sim. Os jogadores da seleção de futebol do Thaiti por exemplo, espantaram-se ao chegar em Copacabana e descobrir que aqui tem mar. Aliás, a seleção preferida deles é a seleção espanhola, e não a brasileira.

O que o futebol, a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, tem a ver com a sopa do crescimento e da corrupção? Tudo! O caldeirão começou a fervilhar quando o governo brasileiro usou o dinheiro público como combustível para cozinhar a sopa, que com certeza alimenta a chance de corrupção e tira do povo o direito à saúde e à educação. A partir daí, começaram as  manifestações ordeiras, e também as quebradeiras. Enganou-se, quem como  eu, pensou que essas manifestações acabariam com o fim da Copa das Confederações. O Brasil (povo) continua a se manifestar, e a ocupar os espaços públicos que lhe é de direito. Nessa última sexta feira, manifestantes desocuparam a sede da Assembleia Legislativa de Vitória-ES, após longo tempo de ocupação (pena que eles tenham depredado o local - vandalismo inaceitável). Eles estão lutando para que não seja mais cobrado o  pedágio da Terceira Ponte que liga o município de Vitória ao município de Vila Velha. Essa ponte já está paga há muito tempo e a RodoSol, empresa que administra o pedágio, continua arrancando o dinheiro do povo e enriquecendo. A proposta era de que a cobrança do pedágio cessaria quando a ponte estivesse paga e isso lá se vão cerca de vinte anos. A Terceira Ponte já foi paga pelo  menos três vezes.

Coisas boas estão acontecendo nesse país, pelo menos na área cultural como por exemplo o Festivais de Inverno nas áreas de montanhas, Festival de Cinema de Gramado, Vitória Cine Vídeo  em Vitória-ES, Festa Literária de Parati - Flip, embora exista uma Parati miserável convivendo paralelamente com esse magnífico evento. Coisa boa também foi o Brasil se classificar em quinto lugar na feira de Educação Profissional na Alemanha. Classifico como ótimas as manifestações pacíficas nas ruas do Brasil, as manifestações e críticas políticas nas redes sociais, o ato solidário da população Capixaba levando alimentos para os manifestantes que ocuparam a Assembleia Legislativa do Espírito Santo, aqui em Vitória. Tudo isso faz parte desse grande caldeirão de sopa. Caldeirão esse, que não para de ferver, e pelo visto não vai parar tão cedo, pois como eu disse acima, e todos nós sabemos, vem aí a Copa do Mundo e as Olimpíadas, e o povo não esqueceu os gastos de dinheiro público com as construções dos estádios. Enquanto isso a votação dos royalties do petróleo que eram somente para a educação, e agora foi dividido com a saúde, está parado na câmara dos deputados, royalties esses, cujo projeto original sofreu alteração no senado, que cometeu um grande perjúrio e fez da matéria uma grande "lambança", como sempre.

A palavra de ordem desses novos tempos  é: "Precisamos ouvir as vozes das ruas". As vozes das ruas estão ficando roucas de tanto gritar  e os políticos continuam surdos. E por estarem surdos, continuam viajando com os jatos da FAB: Para ir à festa de casamento com a família e para assistir junto com a família, o jogo do Brasil na Copa das Confederações - observaram como o futebol e a Copa das Confederações estão envolvidas nesse jogo de insatisfação da sociedade e de corrupção, desvios e desmandos do poder público? Ingredientes da sopa! Essas vozes precisam chegar às urnas em 2014, e esperamos todos, que o gás, o combustível que mantém acesa as vozes das ruas não se esgotem antes desse dia.

As vozes das ruas representa um novo começo de era. Esperamos todos que essa nova era política no Brasil venha contemplar os pobres e humildes - ou humilhados - os excluídos e execrados. Que venha contemplar essa Raça que está sendo formada há pouco mais de 500 anos, e que  é uma Raça guerreira e trabalhadora. Uma Raça que luta e não desiste, uma Raça que esteve dormindo, mas que nos últimos quarenta e cinco dias despertou. A Raça Brasileira é uma Raça aguerrida porque sempre foi uma Raça sofrida. A Raça Brasileira é uma Raça que tem muita garra. Por isso estamos aqui, aí, ali, acolá... Estamos em todo lugar, para lutar, ocupar, conquistar o nosso lugar e espaço, no mundo e na história. Estamos construindo um novo país. Vai demorar para ficar pronto mas com certeza chegaremos lá! Ainda somos um país muito jovem e temos muito para aprender. Precisamos caminhar juntos, aprender juntos, fazer juntos, para crescermos juntos...

Nenhum comentário: