terça-feira, 14 de abril de 2015

Educar os filhos em casa...




Temos visto nos últimos anos uma grande polêmica sobre as vantagens e desvantagens de se educar os filhos em casa, ao invés de educá-los na escola. Sobre tudo, a polêmica vai muito mais longe: discute-se também a legalidade desse fato, e, acima de tudo, a capacidade dos pais em assumirem a educação acadêmica dos seus próprios fihlos. Entre as causas responsáveis pelas escolhas dos pais em educarem os seus filhos em casa estão as ideologias das escolas, as drogas, a violência, o bullying...

Se me perguntarem se sou contra ou a favor de que o próprios pais eduquem os seus filhos em casa, eu diria sim. Entretanto, a situação é realmente complicada, pois essa cituação exige disciplina, compromisso dos estudantes e dos pais, e sobre tudo, exige a capacitação dos pais e nem todos estão preparados para exercerem essa honrosa função de educador acadêmico - e muitas das vezes, alguns pais não possuem a mínima capacidade de exercerem a função de pais, por serem extremamente permissivos e não saberem impor limites aos seus filhos. Pais assim, comprometeriam o aprendizado dos seus filhos-alunos.

Penso que a preocupação dos pais em manterem os seus filhos longe das drogas e da balbúrdia que é a escola pública é muito válida. Quanto à "ideologia", escola pública não possui ideologia, e isso é mais perigoso ainda, pois como educador tenho visto evangélicos, católicos, espíritas..., tentando impor as suas ideologias religiosas dentro das escolas por onde passei, apesar de o Estado e as escolas serem laicos. Será?

Algumas escolas de confissão religiosa costumam doutrinar os seus educandos, aproveitando a disciplina Ensino Religioso. Nas escolas públicas, são os professores mal preparados, que puxam a sardinha para as suas brasas, quando lecionam o Ensino Religioso Escolar. Por isso a polêmica e o questionamento: "O Ensino Religioso Escolar é realmente necessário?" Concordo que os pais ateus não aceitem a doutrinação dos seus filhos em alguma confissão de cunho religioso, concordo que os pais evangelicos não queiram que os seus filhos tenham doutrinação católica, e, acima de tudo, concordo que os pais católicos também não queiram que os seus filhos sejam dourinados por loucos e fanáticos evangélicos, e isso vale para todas as religiões ou manifestações religiosas contrárias ao que esses pais acreditam, embora não deveria ser assim, e embora, o verdadeiro ensino religioso nas escolas públicas não deveriam ter cunho religioso nenhum, pois deveria ser ensinado sob o ponto de vista das Ciências das Religiões (ou no singular, se assim preferirem os leitores). Esse é apenas um dos pontos de vistas desse assunto tão polêmico.

A verdade é que no Brasil não há lei que regulamenta a questão da educação acadêmica das crianças e adolescentes no seu próprio domicílio residencial e pelos pais. Alguns especialistas em educção são contra a educação acadêmica em casa, alegando que "a criança e o jovem precisam socializar..." Se eles conhecessem de fato o contexto social dentro da escola pública talvez mudassem de ideia. Hoje ouvi no rádio uma noticia sobre uma adolescente de desesseis anos que foi aprovada no ENEM e foi aprovada em uma universidade particular para cursar jornalismo, e que teve a sua educação acadêmica dirigida e coordenada pelos próprios pais em casa, e que corre o risco de parar de estudar, porque o MEC entrou na justiça contra a moça para impedi-la de estudar por não ter frequentado uma instituição educacional nos ensinos fundamental e médio. Absurdo da "PATRIA EDUCADORA", que mais des-educa, do que qualquer outra coisa, inclusive com exemplos de corrupções desenfrendas, onde todos os dias explodem novos escândalos financeiros e crise política. Isso sim, é muito preocupante!

Nenhum comentário: