sábado, 5 de julho de 2014

A Copa do Mundo no Brasil - V Parte (A Copa da Violência e da Deslealdade - Uma Copa Sem Ética!)

Comentário
por Austri Junior

Você nunca imagina que vai sair de casa pela manhã ou em qualquer outro horário, cheio de vida e de planos, e que não mais voltará, pelo menos não com vida, para dessa vida desfrutar as suas bênçãos, crescer e aprender com as mazelas que essa mesma vida nos traz, mas que é de vital importância para o nosso amadurecimento e sabedoria. Discordo plenamente do grande Gabriel Garcia Marques, quando diz: “A sabedoria é algo que quando nos bate à porta já não nos serve para nada.” Serve sim, e serve muito! Serve para corrigirmos os erros, serve para buscarmos acertar na escolhas e decisões presentes e futuras, serve para instruirmos outras pessoas enquanto educadores, conselheiros, amigos, pais, companheiros, pastores e sacerdotes... Entretanto, a vida é mesmo um grande paradoxo.

Essa Copa do Mundo no Brasil tem trazido à minha mente muitas observações e reflexões, uma verdadeira escola da vida, onde estou observando cada vez mais perplexo os seres (des) humanos, que fazem tudo (o que há de mau e mal) por seus objetivos. Algumas vidas foram ceifadas, estancadas, paradas bruscamente para que agora as pessoas estejam nos estádios, vaiando, xingando, sorrindo e chorando de emoções... Gritando, GOL!

Mas não somente vidas foram ceifadas nas construções dos estádios, como também, nessa semana pelo menos duas vidas foram ceifadas debaixo de um viaduto na cidade de Belo Horizonte, por causa das obras de "mobilidade urbana" com o objetivo de se realizar a Copa do Mundo no Brasil, obra essa, tocada de maneira irresponsável, às pressas, de qualquer maneira, que não ficou pronta à tempo e como se não bastasse, caiu em cima de um ônibus e de um carro de passeio, matando a motorista do ônibus e o rapaz que dirigia o seu automóvel. Ambos e também os que morreram nas construções dos estádios deixaram famílias que estão sofrendo enquanto outros se divertem, muitos deles nem sequer lembram mais disso. Percebi que nos jogos de ontem nem sequer fizeram um minuto de silêncio pelas vidas que se foram debaixo do viaduto em BH. Muitos dirão: "Uma coisa não tem nada que ver com a outra." Quem  está pensando assim realmente está com a razão. Uma coisa realmente não tem nenhuma relação com a outra mesmo. Não para nenhum de nós, ou para a FIFA, ou para os governos envolvidos, mas o fato é que essas obras todas têm dois alvos: 1º - A Copa do Mundo no Brasil, e 2º - A reeleição de Dilma Roussef para a presidência da república. Não sejamos ingênuos em pensar que a Dilma e o PT não vão usar essa Copa e as suas "maravilhosas" obras de mobilidade urbana para ganhar as eleições em outubro. O discurso será: "As obras não são para os turistas, elas são para o povo brasileiro e ficarão aqui para sempre..." As obras ficarão para sempre, assim como o sofrimento e as angústias das famílias que perderam os seus entes queridos, por irresponsabilidade, morosidade e pressa (em consequência dessa morosidade) para terminar as obras, e eis o que aconteceu. Mas em outubro ninguém vai se lembrar disso, como já não lembram-se agora. Nós esquecemos as coisas muito facilmente, inclusive as promessas não cumpridas, e que praticamente às vésperas das eleições são prometidas novamente. Querem um pequeno exemplo? Desde o primeiro mandato do Lula, temos dele, a promessa de reforma e ampliação do Aeroporto de Vitória. Quem conhece o nosso aeroporto sabe que ele está mais para um clube de aviação que para um aeroporto de verdade, que até chove dentro (isso não é novidade nenhuma no Brasil). Pois muito bem, a Dilma esteve aqui em Vitoria, nessa quarta feira (02/07/14), e prometeu tudo novamente, e inclusive teleférico para a cidade de Vitória. O pior: tem gente que acredita.

Esse texto era para ser escrito e postado na segunda feira, véspera do inicio da Semi Final da Copa do Mundo no Brasil, como tenho feito desde o inicio dessa Copa. Ainda teremos dois jogos hoje: Bélgica x Argentina (é desnecessário dizer que torcerei para a Bélgica - mas já disse), e, Holanda x Costa Rica (torcerei para a Holanda e tenho quase certeza de que a Holanda chegará na final). Eu queria muito mesmo, esperar esses dois jogos e ver o que iria acontecer, antes de fazer os meus comentários aqui, mas não consegui esperar, tamanha a indignidade estou sentido em relação à covardia acometida ao Neymar, que foi selvagemente atropelado inescrupulosamente pelo Zúñiga, que nem sequer levou o cartão amarelo por conta de um juiz incompetente.  O Neymar estava semi agachado para dominar uma bola na altura do seu peito e o colombiano veio deslealmente por trás, subiu-lhe às costas, deu-lhe uma joelhada na coluna, enquanto apoiava-se na nuca do Neymar ao mesmo tempo em que o empurrava para baixo. Todos viram isso, e as imagens são muito claras. Quero ver qual vai ser a posição da FIFA em relação à esse fato.

Tenho batido na mesma tecla, aqui constantemente: Essa é a Copa do Mundo mais violenta que tenho visto desde a Copa de 1970. É a Copa das faltas graves e propositais, é a Copa da deslealdade, do cinismo, do vale tudo, do salve-se que puder. À cada jogo me encho de preocupação e temo pelas vidas dos jogadores - não somente dos jogadores brasileiros. Vendo o Neymar ser cassado da maneira que estava sendo, eu tinha certeza de que, mais cedo ou mais tarde o pegariam de jeito, como foi feito ontem. À cada jogo penso será que algum jogador nessa Copa sofrerá o infortúnio de sair do campo sem vida ou paralítico para sempre? Pode parecer exagerado, mas se olharmos para a violência dentro de campo veremos que não é, e quase aconteceu ontem. É duro, sair de casa, cheio de planos e de vida, cheio de expectativas e esperanças, e voltar sem um ou sem o outro. Isso não está longe de acontecer dentro de campo nessa Copa do Mundo no Brasil. Lembremo-nos de que a Argentina jogará daqui há 40 minutos (mais ou menos), e eles são os mestres da violência no futebol. Com argentinos todo cuidado é pouco, pois é a seleção mais desleal do mundo todo. 

Boa sorte à Seleção Brasileira, boa sorte aos jogadores de todas as seleções que jogam com lealdade, respeito e ética, e, boa sorte Neymar Jr. Espero que se recupere bem. Já não basta ter um sonho, um plano e um objetivo interrompido, ainda por cima ser alvo da torcida daqueles que não se preocupam com a vida humana, e torcem por Neymar fora da Copa. Quanto à Seleção do Brasil fora da Copa do Mundo, mudei de ideia: "EU SOU BRASILEIRO COM MUITO ORGULHO COM MUITO AMOR... " Apesar da Dilma, do PT e dos aliados corruptos (ou não). Uma coisa não tem nada que ver com a outra! 

2 comentários:

Fernando Marin disse...

Austri
Tem razão, até mordidas aconteceram, me parece que a violência que tem se espalhado por todos os lados chegou aos estádios - e do lado de dentro do gramado.
Quanto ao juiz, sabe-se lá por que utilizou-se tão popucas vezes do cartão amarelo, apesar do enorme número de faltas praticadas no decorrer da partida.
Quanto ao resto, concordo plenamente.
E que cheguemos ao final - vivos !
Abraço.

Austri Junior disse...

Fernando, você tem toda razão. principalmente quanto ás aplicações dos cartões. Obrigado por comentar. Fico feliz. Em geral ninguém comenta.
Abraço fraterno!